"Tic-tac. Os relógios rodavam seus ponteiros enquanto a cena mudou. Um beijo em meus lábios, um pedido de abraço, a tatuagem a mostra; feita à fogo, a ferro. Não dá. Zezé de Camargo e Luciano sabiam bem.
Me abraça. Pedi por dentro. Não solta. Não larga. Não deixa ir.
Claro que deixou. A gente sempre deixa. É mais fácil. E um sorriso.
As mãos entre as pernas, seria mais preciso se dissesse logo o rabo, os olhos caídos. Por que você faz isso mesmo?"
Tamires Carvalho, 505 

(via tamires-extratrex-deactivated20)

25 notes
  1. diary-0f-an-angel reblogged this from sexauro-rex
  2. a-rainhada-ganja reblogged this from amor-de-garota
  3. amor-de-garota reblogged this from evechristmas
  4. saturnizar reblogged this from amorar